Sobre

Objetivo

Fortalecer os compromissos sociais e ambientais do setor produtivo da carne bovina e impulsionar sua implementação.

Boi na Linha: um excelente negócio

 

A produção de carne bovina envolve milhões de propriedades criadoras de gado Brasil afora. Somente no estado do Pará o rebanho bovino soma 20 milhões de animais. O caminho entre o gado criado lá na fazenda e o nosso prato, passa pela indústria frigorífica brasileira, reconhecida internacionalmente pela quantidade de carne exportada. 

 

Em 2009, os maiores frigoríficos do país foram convidados, pelo Ministério Público Federal e por organizações da sociedade, a assumir o importante papel em melhorar a forma como a carne do gado criado na Amazônia é produzida, diminuindo os impactos ambientais e sociais, como o desmatamento e o trabalho escravo. Mas esta não é uma tarefa fácil, ainda mais na Amazônia, que é tão grande. Para que o cumprimento desse trabalho fosse ainda mais eficiente, as grandes redes de supermercado também foram convidadas a cooperar. Todo este movimento resultou em compromissos que estabeleceram critérios de compra para o gado vindo da Amazônia. A partir desses compromissos, importantes mudanças de práticas e comportamentos têm acontecido. Porém, é preciso avançar mais. É neste cenário de tantos esforços, trabalhando desde o início com os vários parceiros envolvidos na produção da carne bovina, que o Imaflora desenvolveu e colocou em prática o Projeto Boi na Linha.

 

O Projeto Boi na Linha tem como objetivos fortalecer os compromissos sociais e ambientais do setor produtivo da carne bovina e impulsionar sua implementação. Para isso, um time de especialistas do Imaflora tem cooperado com frigoríficos, procuradores da República, ONGs e varejistas no aprimoramento dos critérios e instrumentos técnicos para o monitoramento e verificação dos compromissos firmados. O Imaflora também está desenvolvendo mecanismos que vão ajudar a melhorar o controle do gado da porteira para dentro, aumentando a disponibilidade de informação e a transparência no setor. Contudo, para melhorar a transparência é necessário aumentar a compreensão sobre a origem e o funcionamento dos compromissos, tanto para compradores nacionais quanto para internacionais. Portanto, informação completa e precisa é fundamental para a tomada de decisão. Tudo isso, consultando e ouvindo mais de 10 organizações da sociedade civil, no espírito da melhoria contínua.

 

Por que é bom estar na linha?

É notável a crescente preocupação com responsabilidade social e ambiental pelo mundo dos negócios em todos os setores da economia. Além disso, o respeito pela manutenção do meio ambiente e pelos direitos das populações que vivem na região, se tornou, em muitos mercados, uma das principais exigências de contrato, ou quase uma pré-condição para compra. As mudanças climáticas tornam ainda mais urgente esta preocupação, na medida em que os riscos devem ser reduzidos, inclusive o risco econômico com a perda de contratos e a quebra de produção. Todos esses eventos aumentam a percepção de investidores de que é preciso fazer funcionar uma economia de baixo carbono, com menos impactos sobre o meio ambiente e sobre as pessoas. Assim, a pecuária de baixo carbono é viável, e um boi na linha é bom para os pecuaristas, os frigoríficos e para uma sociedade mais saudável.

 

Usuários

 

  • Frigoríficos de todos os portes na Amazônia

  • Ministério Público Federal – 4 ª Câmara do Meio Ambiente e Patrimônio Cultural

  • Organizações da Sociedade Civil

  • Compradores nacionais e internacionais

  • Instituições Financeiras

 

O trio de ouro:  Monitoramento, Relatoria e Verificação

 

A lógica que garante o Boi na Linha percorre três caminhos:

Número Um: Monitorar melhor com critérios mais precisos

 

Depois dos acordos assinados, os grandes frigoríficos estabeleceram seu próprio procedimento para monitorar as fazendas de onde compram o gado. Isso gerou diferenças que dificultaram comparar os monitoramentos realizados, e consequentemente, o desempenho de cada um deles. Já entre os médios e pequenos frigoríficos, a capacidade de implantação de sistemas é sempre um desafio, por conta dos altos investimentos e acesso às tecnologias. Por isso, o Boi na Linha conseguiu articular uma harmonização de critérios e procedimentos que resultou no Protocolo de Monitoramento dos Fornecedores de Gado. O documento fornece a régua única a ser implantada por todos os frigoríficos (veja infográfico). Ciente de que os médios e pequenos necessitam de mais apoio na implementação, o pacote de ações inclui treinamentos específicos para estes usuários. A transparência é princípio do Boi na Linha, sendo assim, os meios de comunicação vão reportar o avanço da implantação do monitoramento.

Número Dois: Verificar e demonstrar com robustez

 

A robustez de um boi se mede também pela sua musculatura forte. As empresas que precisam demonstrar desempenho social e ambiental para seus parceiros comerciais e para a sociedade precisam de processos mais firmes. Da mesma forma, um bom Protocolo é essencial, para assegurar a execução de auditorias robustas e com método alinhado. A importância de ter requisitos de qualidade e dicas práticas para contratação de organizações de auditoria, o passo a passo do processo desde a definição da amostragem, passando pelo fornecimento de uma lista de verificação até a análise do sistema de monitoramento aplicado, tudo isso é conteúdo de um Protocolo de Auditoria.

 

Número Três: Relatar, relatar e continuar relatando...

 

Junto ao monitoramento dos fornecedores e das auditorias também há a necessidade de tornar público os resultados. Somente com o avanço da transparência, os demais participantes do setor produtivo da carne bovina poderão ter segurança nas transações. Reportar os resultados do próprio Projeto, como a evolução dos compromissos, dos protocolos em seus processos futuros de revisão, por exemplo, bem como dar publicidade para as auditorias (via relatórios públicos) e planos de ação corretiva, é o que vai possibilitar entender o real progresso e redefinir estratégias que permitam o ganho de escala no cumprimento dos compromissos. Para isto, relatórios padronizados ajudarão na comunicação dos resultados e mostrarão a precisão de todo o trabalho.

 

E o lado da demanda? Política de Compras para o varejo

Outro personagem importante na história dos compromissos são as redes de supermercado. Elas também desempenham relevante papel no avanço rumo à pecuária bovina responsável. Trazendo cada vez mais perto este parceiro na caminhada, o Boi na Linha está reunindo o setor de varejo, com os procuradores da República e organizações da sociedade civil para desenvolver e implementar uma Política de Compras de Carne Bovina, com o foco na tão relevante responsabilidade social e ambiental e na transparência do setor produtivo. 

Papel dos Frigoríficos

Melhorar a forma como a carne do gado criado na Amazônia é produzida, diminuindo os impactos ambientais e sociais, como o desmatamento e o trabalho escravo.

 

Sede do Imaflora

Estrada Chico Mendes, 185
Piracicaba - SP | Brasil
CEP 13426-420

Iniciativa

Parceiro

© 2020 by Boi na Linha. Proudly created with Wix.comTerms of Use  |   Privacy Policy